Arquivo da tag: vinhos

Douro_na_Foz_do_Coa

Uma viagem enogastrônomica – e emotiva – por Portugal

Touriga nacional, trincadeira, tinta roriz, alvarinho, malvasia. A quem visita a Terrinha, vulgo Portugal, esse nomes com certeza estarão presentes nos almoços, jantares e passeios, principalmente se o roteiro incluir a região do Porto e do Alentejo. Isso porque eles batizam as principais castas de uvas portuguesas, que dão cor, aroma e alma aos vinhos tintos e brancos locais.

E “perseguir” as joias vinícolas dessas regiões é uma aventura não só saborosa, agradável, mas também emocionante para um brasileiro que em algum momento da vida conviveu com suas avós quituteiras. Sim, Portugal dos vinhos tem “vibe” de vó.

 

Vinícola no Rio Douro
Dica de ouro Na Quinta do Crasto, o banquete é servido às margens do rio, com vista e vinhos de deixar a cabeça leve

Rio Douro
Para os nostálgicos, vale buscar opções de turismo vinícola, ou seja, passear de barco pelo rio Douro, se hospedar em propriedades que produzem vinho ou passar o dia em uma delas e acompanhar a colheita, a seleção e a pisa das uvas no lagar (espaço onde essa parte da produção do vinho acontece) – quem quiser pode, inclusive, passar pela tradicional experiência de amassar as uvas com os pés.

Um local para conhecer é a Quinta do Crasto, incrustada nas inclinadas encostas do Rio Douro, a 130 km do Porto e a 430 km de Lisboa. A hospedagem ainda não está disponível nessa propriedade, mas a visita vale muito a pena, não só pela vista deslumbrante do rio, mas principalmente pelo prazer de degustar uma típica refeição portuguesa, carregada de sotaque e do carinho das cozinheiras do lugar, que adoram receber elogios em sua cozinha. É de comer (e beber) ajoelhados e com lágrimas nos olhos – uma dica importante, a sopa quente faz parte das refeições portuguesas, esteja fazendo 10° C ou 35° C.

 

Barris da Quinta do Crasto
Toque amadeirado A visita à produção da vinícola Quinta do Crasto faz parte do passeio

 

 

Évora
Outro lugar imperdível para os amantes da bebida de Baco é a cidade de Évora, no Alentejo, a 134 km de Lisboa. A propriedade Herdade do Esporão, estabelecida nos arredores da cidade histórica, patrimônio mundial pela Unesco (foi uma das capitais do Império Romano, por isso recomenda-se a visita às ruínas do Templo de Diana), oferece tour às vinhas e às oliveiras (a fazenda também produz azeite) e, no fim do passeio, degusta-se os muitos vinhos ali produzidos com um menu de dar água na boca de qualquer gourmet – no restaurante da propriedade, que tem vista para as vinhas, os pratos são preparados com produtos locais, cultivados na fazenda ou de fornecedores próximos, e traduzem uma deliciosa mistura da culinária tradicional do país com técnicas modernas da gastronomia. Depois de toda essa fartura, vale a visita à loja da propriedade. Além dos vinhos e azeites perfumados da Herdade do Esporão, pode-se comprar mel e utensílios de cozinha.

 

Pestiscos portugueses
In vino veritas  Na propriedade Herdade do Esporão, os petiscos típicos portugueses acompanham tintos e brancos

 

Vai parecer clichê e é, mas o fado é a tradução perfeita para classificar a viagem a esses dois destinos portugueses: emoção pura e nostalgia permanente.

 Quando ir
Viaje no mês de setembro. Ainda está quente (cerca de 30°C) e não tem tanto turista visitando as vinícolas, além de os preços estarem mais em conta.

 

Vinhas
Terrinha boa As vinhas em Évora, cidade da região vinícola do Alentejo

 

Trilha sonora

Gisela João, fadista contemporânea, celebrada como a grande artista da música portuguesa do século 21.

Imagens: Turismo en Portugal /Quinta do Crasto/Herdade do Esporão