Arquivo da tag: florida

The Breakers

Resort perfeito existe?

Resorts nunca me atraíram. Viagens em que o hotel é a principal atração iam contra o meu conceito de viajante, que sempre foi conhecer paisagens, culturas, pessoas diferentes, ter experiências que me tirem da minha bolha, do meu universo particular.

Mas esse pensamento suavizou quando embarquei na vida adulta para valer. Quando você passa o ano todo dormindo menos do que precisa ou gostaria, tem pouquíssimo tempo para si mesma e muitos itens na agenda para se preocupar, lembrar e executar, intercalar uma ida à Macchu Picchu e outra à Praga com uma escapada sem mapa, sem roteiro, só cuca fresca e alguns mimos, começa a soar interessante – muito interessante.

E quando você tem crianças, então, aí é quase impossível fugir dos resorts. Entretê-las o dia todo durante todo o período de férias é cansativo. Ter a ajuda de uma ou mais piscinas, sala de jogos, quadra, playground e equipe de recreadores, entre outras atrações, é tudo que você deseja.

 

Vista aérea de Palm Beach
Vista aérea Precisei virar mãe para me render – apenas na teoria, por enquanto – aos encantos de um beach resort

 

Então, é isso. Eu já não torço o nariz para resorts e, na verdade, até sonho com um feriado prolongado em uma espreguiçadeira diante de uma piscina gigante com serviço de bar.

E aí você me pergunta, para quantos resorts você já foi? Respondo: nenhum. Sabe porquê? Já que a hospedagem vai ser o motivo único da viagem, eu quero ir para o resort perfeito – pelo menos, perfeito para mim. Isso significa:

  1. Tô fora de all inclusive
    Assistir a uma turma exagerando na cerveja e no uísque e passando mal dentro da piscina não é o meu ideal de férias. E eu sou mais da qualidade do que da quantidade em muitas questões, mas, principalmente, na bebida e na comida.
  1. Recreação para adultos, nem pensar
    Monitor me puxando para a aula de lambaeróbica também não está nos meus planos.
  1. Não pode ser totalmente voltado para crianças
    Desculpe a arrogância, mas se eu quisesse tomar café da manhã com personagens, iria para a Disney. As férias também são minhas!
  1. Não custar mais caro que uma viagem à Disney
    Encontrar bom gosto, boas instalações, bom serviço, boa comida, e ainda achar um preço justo é, talvez, o maior desafio nessa lista.
 Será que eu encontrei?

Recentemente, eu fiquei com vontade de conhecer um resort que parece se encaixar nos meus requisitos: o The Breakers, em Palm Beach, na Flórida. Por que esse hotel a pouco mais de uma hora de Miami me parece promissor:

  1.  Hóspedes interessados em descanso e atividades outdoors
    O The Breakers atrai famílias com crianças e casais (há área para realização de casamentos dentro do hotel). Tive a impressão que o público ali, em geral,  é menos interessado em compras e mais em atividades como mergulho, pesca, ioga, golfe, stand-up paddle etc.

 

Playground
Cada um na sua Os hóspedes mirins têm espaços especiais para eles no The Breakers

 

  1. É uma propriedade histórica
    A imponente construção é de 1896 e pertencia à família aristocrática Flagler. Ali eles hospedavam os amigos que escapavam do inverno do norte dos EUA para as temperaturas amenas da Flórida.  Durante a 2a Guerra Mundial, o The Breakers, já um hotel, foi temporariamente transformado em hospital. Há um Museu Flagler em Palm Beach para quem quiser ter uma aulinha de história para variar.

 

O restaurante HMF
Lendário O restaurante HMF homenageia o antigo proprietário do The Breakers, o magnata Henry Morrison Flagler

 

  1. Focado nas crianças e nos adultos
    O resort parece pensar em tudo para agradar desde recém-casados até crianças– passando pelos pais exaustos. Aproveitando o enorme terreno que ocupa, o The Breakers criou áreas específicas para cada perfil. São quatro piscinas, por exemplo. Enquanto uma não tem degraus e vai afundando suavemente, como uma praia, consequentemente mais segura para os pequenos, tem outra em que celulares não são permitidos. Deu para entender a proposta? O mesmo acontece com os restaurantes – são oito no total. Um deles, italiano, é separado do Kids Club por uma grande parede de vidro. Perfeito para pais jantarem tranquilos enquanto os filhos não querem parar de brincar. Por outro lado, o HMF é para jantares mais sofisticados e crianças só são bem vindas até determinado horário.

 

  1. E por falar em crianças…
    A lista de serviços e instalações para famílias é bem completa: existem suítes conectadas, um prédio inteiro com salas de atividades infantis (separadas por idade) e serviço de baby-sitter. Na hora da reserva, você informa a idade dos seus filhos e, se tiver bebês, o quarto é preparado para eles. Isso significa que somem sacolas plásticas e tomadas são protegidas, assim como as quinas dos móveis. Você pode solicitar aquecedores de mamadeiras, banheiras, berços e trocadores. Para os maiorzinhos, há banquinhos para alcançar a pia.

 

Active Pool, do The Breakers
Mergulho suave A Active Pool, piscina destinada às famílias, não tem degraus para entrar

 

 

  1. Vai encarar?
    É um hotel para poucos, principalmente entre dezembro e fevereiro, quando a diária chega a US$ 9.000!  Mas, em julho, quando os americanos acham a Flórida quente demais para o gosto deles, as tarifas caem vertiginosamente. Podem chegar a US$ 429, com a vantagem de que crianças abaixo de 12 anos têm refeições gratuitas nos restaurantes do hotel.

 Imagens: Divulgação/The Breakers

Carrossel_MagicKingdom

Disney com filhos pequenos

Quando decidimos levar nossos filhos de 2 e 3 anos à Disney, vários amigos nos chamaram de loucos. O conselho que mais ouvimos é que devíamos esperar um pouco mais, até eles poderem entender e curtir melhor a experiência.

Teimosos, arriscamos. E voltamos com dois argumentos para convencer quem está vivendo a mesma indecisão. O primeiro é que sim, os parques têm infra-estrutura e atrações para cada faixa etária, de bebê a idoso. É só adaptar o roteiro para a idade da sua trupe.

O segundo é que não, a Disney não é o tipo de experiência que precisa ser “entendida”. Pelo contrário: o grande barato das crianças pequenas é que elas entram inteiramente no mundo da fantasia. Enquanto você fica olhando para o trilho do carrinho e se perguntando como ele corre dentro da água, ou comentando como os movimentos dos bonecos são perfeitos, elas estão lá, totalmente imersas em um reino mágico onde os passarinhos cantam, os elefantes voam, as princesas, sereias e piratas saem dos livros, e Mickey e seus amigos aparecem a qualquer momento (bem maiores que na televisão!) dando sorrisos, abraços e hi-five.

 

Toca aqui O grande barato da Disney para os pequenos é que entram na fantasia ao encontrar personagens que dão abraços e hi-five (no caso do Pluto, hi-three)
Toca aqui! O grande barato é que os pequenos entram na fantasia ao encontrar personagens que dão abraços e hi-five – no caso do Pluto, hi-three :-)

 

Foi cansativo? Sem dúvida. Chegávamos no hotel loucos para cair na cama (filhos e pais). Mas existe coisa mais gostosa do que um sono profundo depois de um dia cheio de diversão, risadas e muito (muito mesmo!) gasto de energia?

A seguir, compartilhamos algumas dicas para facilitar a vida de outras famílias que pretendem encarar a maratona:

1. Planeje (e esteja aberto para mudar os planos)
 Os parques são enormes e as atividades são tantas que, sem planejamento, você fica perdido. Isso vale para qualquer um, mas é ainda mais importante com criança pequena. O site novo da Disney ajuda muito nessa preparação. Além de fotos e informações sobre tudo que existe dentro do complexo, permite fazer reserva, montar seu itinerário e criar um mapa otimizado onde aparecem apenas as suas escolhas. Além disso, dá para marcar o FastPass+ (o famoso fura-fila da Disney) que é f-u-n-d-a-m-e-n-t-a-l para evitar chiliques na espera das atrações mais populares. Você tem direito a três brinquedos por dia, por isso tem de se organizar muito bem para fazer boas escolhas e conseguir chegar lá no horário marcado. Mas atenção: tão importante quanto todo planejamento é ter abertura para adaptar o roteiro caso variáveis como sono, fome, chuva ou dor de barriga exigirem. Jogo de cintura está no capítulo 1 da cartilha de pais, certo?

 

Ritmo lento Nada de maratona. Com crianças, menos - e várias vezes - é a pedida
No ritmo deles Com crianças, nada de maratona, o passeio acontece mais lento. Menos – e várias vezes – é a pedida

 

2. Mapeie as atrações
As atrações que agradam os pequeninhos não são necessariamente as mais populares (sorte sua, menos filas!). Mas justamente por serem menos óbvias, exigem de você um trabalho prévio de mapeamento. Comece pelo site oficial (veja na dica acima) e depois vá refinando a lista a partir das dicas de amigos, blogs, fóruns online e, principalmente, das preferências da sua família. Aqui em casa, por exemplo, o pessoal adora circo. Então reservamos um bocado de tempo para o Storybook Circus – uma área com inspiração circense criada em volta do Dumbo, o elefante voador. Outra paixão dos nossos filhos são os bichos. Por isso passamos um longo e delicioso dia no Animal Kingdom – talvez o melhor de todos.

 

Béééjinho O parque Animal Kingdom é um dos mais interessantes do complexo para crianças com até 3 anos
Béééjinho O parque Animal Kingdom é um dos mais interessantes do complexo para crianças com até 3 anos

 

3. Less is more
Este ditado tão popular entre os americanos faz ainda mais sentido quando se trata de crianças pequenas. Para elas, mais vale ir a cinco ou seis atrações (e repetir váaarias vezes aquela que, para você, parece a mais bobinha) do que passar correndo por dez. Pense como é na sua casa: seus filhos não pedem para você ler dezenas de vezes o mesmo livro? Pois então, a mesma lógica vale aqui.

4. Faça chuva ou faça sol
Apesar de muitas das atrações serem em locais fechados, você vai caminhar sempre ao ar livre para ir de um lugar para o outro. Portanto, prepare-se para todas as previsões (e imprevistos) de tempo. Em geral, a Flórida é muito quente e úmida. Não deixe de levar boné, protetor solar e capa de chuva, além de garrafinhas de água para toda a família (tem bebedor em todo canto, mas se você não tiver uma garrafa à mão vai acabar esquecendo deles). Guarda-chuva é sempre um pouco incômodo, mas torna-se obrigatório se você é daqueles que não gosta da capa de chuva grudando no braço. Outro acessório que para nós foi fundamental é uma canga ou lenço para cobrir o carrinho, caso o sol esteja muito forte e a capota não dê conta de fazer sombra. Sem falar na toalha e roupa extra, para o caso de eles se empolgarem com os brinquedos de água.

 

É o Nemo? A criançada adora água! Tenha toalhas à mão quando encontrarem um chafariz pela frente
Virando Nemo A criançada adora água! Tenha toalhas à mão quando encontrarem um chafariz pela frente

 

5. Carrinho, seu melhor amigo
Mesmo que seus filhos não usem mais carrinho no dia a dia, dessa vez ele pode ser seu grande aliado. Na Disney, tudo é feito a pé, e qualquer adulto estará cansado para carregar um guri no cangote quando a bateria dele acabar. Por US$ 15, é possível alugar um carrinho por lá. Mas como você vai precisar dele por vários dias, acaba valendo mais a pena levar o seu – ou então comprar um no Target ou Babies R Us mais próximo. Se quiser tirar a dúvida se as crianças aguentam ou não, faça um teste antes de viajar: passe uma manhã caminhando no parque, e emende com algumas voltas a pé pelo bairro. Se reclamarem, sinal vermelho. Outra vantagem dos carrinhos é que dá para guardar toda a tranqueira da molecada: garrafinha de água, roupas extras, lenços umedecidos, comida etc..

6. Reduza a expectativa
Certa vez, ouvimos de um guru indiano que a expectativa é o primeiro passo para a frustração. Leve essa pequena sabedoria na sua mochila, e sua viagem certamente será mais feliz. A Disney é realmente um sonho, uma delícia de passeio para a família. Mas se você chega cheio de ansiedade, esperando que tudo aconteça exatamente como sonhou, existe uma chance grande de ficar insatisfeito. Melhor relaxar, e se deixar surpreender.

Temos ainda mais dicas! Veja aqui onde se hospedar com crianças pequenas em Orlando e como alimentá-las de forma mais saudável dentro dos parques Disney.

Imagens: Tours Departing Daily/Creative Commons, Ferdinando Casagrande e Priscila Ramalho

campingfortwilderness

Disney com filhos pequenos: onde ficar e o que comer 

Orlando tem hospedagens para todos os gostos e bolsos e o mesmo pode se dizer em relação a restaurantes. Apesar da crença comum sinalizar o contrário, há comida para os mais diversos paladares e hábitos alimentares nos parques temáticos da cidade da Flórida.

Há um tanto de comodismo nessa história de que na Disney é preciso se render ao junk food. Sem dúvida, é tentador passar os dias à base de cachorro-quente, batata frita e sorvete, mas existem muitas alternativas para quem faz questão de uma alimentação mais saudável. Se essa é a pegada da sua família, temos algumas dicas de onde ficar e o que comer:

 

Testado e aprovado O Hollywood & Vine oferece "comida de verdade! dentro do Holywood Studios
Testado e aprovado O Hollywood & Vine oferece “comida de verdade” dentro do Hollywood Studios

 

1. Casa, comida e roupa lavada
Optamos por alugar uma villa – um apartamento mobiliado em um misto de condomínio e hotel. Ter uma cozinha equipada e uma máquina de lavar roupa à disposição facilita muito a vida e permite economizar uns bons trocados. Uma dica é não se distanciar muito dos parques. Se o orçamento permitir, vale a pena investir num dos resorts dentro do complexo (muitos deles, inclusive, oferecem villas). Caso contrário, há uma infinidade de resorts e condomínios na região do Lake Buena Vista, a poucos minutos dali.

2. E que tal acampar?
Você sabia que dá para acampar dentro da Disney? Sim, lá dentro, a poucos minutos de barco do Magic Kingdom. O Fort Wilderness, um dos resorts mais antigos, tem áreas de camping super bem equipadas, além de charmosos chalés espalhados pelo bosque. Como nossos filhos estão na fase “exploradores”, resolvemos passar duas noites lá, em uma barraca enorme (com cama de campana e tudo) alugada no próprio resort. Saiu menos de US$ 100 por dia, incluindo o aluguel da barraca, e foi uma experiência incrível. Cada camping site tem churrasqueira, mesa de piquenique, torneira e até tomada para carregar seu celular. Bem pertinho, tem uma comfort station com banheiros impecavelmente limpos, máquinas de gelo, bebedor, máquinas de lavar e secar roupas e telefones. Os meninos curtiram muito tomar café da manhã no meio da floresta, correr atrás dos esquilos e dos passarinhos, brincar na chuva (sim, choveu!), sair de lanterna para tomar banho e voltar no escuro, só com a luz da lua (sim, também teve lua cheia!), procurando o lobo-mau atrás das árvores. Nada como a simplicidade da natureza para recarregar a bateria depois de um dia de multidões, barulho e efeitos especiais.

 

 

Mais pertinho da natureza Uma opção divertida de acomodação dentro do complexo Disney é o camping Fort Wilderness
Mais pertinho da natureza Uma opção divertida de acomodação dentro do complexo Disney é o camping Fort Wilderness

 

3. Planeje o cardápio
Os restaurantes tipo buffet ou family-style em geral trazem um cardápio bem variado, inclusive com opções gluten-free para quem tem alergia. Sem falar no Epcot, onde você se esbalda com temperos internacionais nos pavilhões dos países ao redor do World Showcase.

Testamos e aprovamos o Tusker House (no Animal Kingdom), o Liberty Tree Tavern (no Magic Kingdom), o Hollywood & Vine (no Hollywood Studios) e o Teppan Edo (no Epcot). Além disso, levamos uma pequena bolsa térmica com cenourinha, frutas e sanduichinhos, além de ziploc com frutas secas e castanhas. E fizemos um combinado de uma porcaria por dia, que para nossa surpresa funcionou super bem.

 

Prato colorido Para quem não quer se empaturrar de cachorro-quente, existem buffets com bastante variedade
Prato colorido Para quem não quer se empaturrar de cachorro-quente, existem buffets com bastante variedade

 

4. O tal sorvete do Mickey
Ele não é nada além de um Eski-bon em forma de Mickey, mas é um clássico do qual você dificilmente vai escapar. O problema é nos dias mais quentes o danado derrete rápido, solta do palito e vira uma lambança só. Nossa primeira experiência foi trágica. Em poucas mordidas, o caçula estava todo lambuzado. Deu vontade de mergulhá-lo no chafariz do Epcot. Por isso, nosso conselho: faça um ice-cream plan. Leve roupas extras, recolha muitos guardanapos no carrinho de venda e, se puder, deixe para tomar o sorvete no final do dia, já quase a caminho do hotel.

 

Eski-bon orelhudo  O sorvete é um clássico do qual você dificilmente vai escapar. Previna-se da lambança!
Eski-bon orelhudo O sorvete é um clássico do qual você dificilmente vai escapar. Previna-se contra a lambança!

 

Já conferiu nosso guia de muita diversão e pouco estresse com crianças pequenas na Disney? Dá uma olhada aqui

Imagens: Ferdinando Casagrande, Priscila Ramalho, Walt Disney World Resort e Elizabeth McClay/Creative Commons

castelo

Como aproveitar Orlando sem muvuca e correria

Desde que voltei do meu intercâmbio de trabalho no Walt Disney World, na Flórida, duas atividades comuns entraram na minha rotina. A primeira é sentir saudade da incrível experiência de fazer parte daquele universo. A segunda é funcionar como uma guia, dando dicas de como aproveitar melhor a viagem para lá.

A Disney é um lugar divertido, mas bem cheio. Se você não é da muvuca, não precisa desistir de viajar para lá! Separei algumas informações para tornar sua ida a Orlando tranquila e organizada.

Evite Orlando em julho
O verão na Flórida é extremamente quente e com algumas chuvas. Além disso, as férias escolares dos americanos acontecem neste período, e os parques ficam absurdamente cheios. Janeiro é um bom mês para conhecer a Disney e os outros parques, já que estão mais vazios e é quando as crianças brasileiras estão de férias. Priorize sempre a baixa temporada.

Na primeira vez, vá em dias comuns
Se é sua estreia no complexo Disney, recomendo não visitar o Magic Kingdom em dias de festas especiais, que acontecem no Halloween (31 de outubro) e no fim do ano, entre Natal e Réveillon. São lindas e divertidas, mas a tradicional parada de personagens e o show de fogos no castelo da Cinderela não acontecem nestes dias e, desta forma, você acabaria perdendo o clássico do parque.

A festa de Halloween é muito divertida e fofa, mas se é sua primeira vez no Magic Kingdom, prefira os dias em que o parque volta à programação normal
A festa de Halloween é muito divertida e fofa, mas se é sua primeira vez no Magic Kingdom, prefira os dias em que o parque volta à programação normal

 

Compre ingressos com antecedência
Existem várias formas de adquirir ingressos. Se você deseja comprar tíquetes para todos os parques da cidade de uma vez só e parcelar o valor, compre nas agências de viagem do Brasil. Além disso, espalhados por Orlando existem vários lugares que vendem ingressos. Pesquise bem a reputação dos locais e tome muito cuidado se optar comprar neles. Se optar pela aquisição via internet, tire cópias dos vouchers. Será seu comprovante de compra, caso aconteça alguma coisa com os tíquetes.

 

Esqueça a “regra” de deixar o melhor para o final
Fazer a maratona de parques e compras cansa bastante e, consequentemente, nos últimos dias da viagem você estará quebrado. Vale a pena estar tão cansado no dia de visitar o parque/atração que deseja tanto ir? Magic Kingdom, Hollywood Studios e Epcot Center são grandes e têm uma programação extensa ao longo do dia, já que contam com apresentações, paradas e um show de encerramento à noite. Priorize-os no início das férias, quando sua energia estará a mil. Outros parques que merecem um dia exclusivo são Busch Gardens e Island of Adventure. Uma dica é deixar o Animal Kingdom para o fim. O parque é menor, fecha mais cedo e é mais gostoso de andar, uma vez que é completamente arborizado. Universal Studios e Sea World também são relativamente pequenos e fecham cedo.

O Animal Kingdom é um parque mais tranquilo, vazio e gostoso de passear. Prefira visitá-lo nos últimos dias da viagem, quando estiver mais cansado
O Animal Kingdom é um parque mais tranquilo, vazio e gostoso de passear. Prefira visitá-lo nos últimos dias da viagem, quando estiver mais cansado

 

Chegue cedo aos parques
Deixe a preguiça de lado e esteja nos parques na hora da abertura (você pode conferir os horários aqui),  priorizando as atrações mais lotadas na manhã. Planeje bem – nós explicamos o funcionamento do aplicativo My Disney Experience, que ajuda nessa tarefa aqui. Se sua visita a Orlando for em alta temporada, fique de olho nos Fast Pass+ (explicamos aqui) na Disney e possíveis ingressos fura fila nos outros parques da cidade.

 

Seja pontual
Planeje-se para assistir aos shows e apresentações que deseja. Chegue sempre antes do horário de início, porque todas começam pontualmente.

Todos os shows dos parques começam pontualmente. Não se atrase se não quiser perder nenhum detalhe!
Todos os shows dos parques começam pontualmente. Não se atrase se não quiser perder nenhum detalhe!

 

 

Você não precisa carregar compras pelos parques

Comprou alguma coisa e não quer carregar? Consulte os caixas das lojas e pergunte pelo serviço chamado Package Pickup, que envia suas sacolas para a saída do parque, para você pegá-las no fim do dia. Existe também o serviço de delivery para os hotéis do complexo e alguns conveniados.

 

Vale mais comprar um troller que alugar

Se você está com crianças pequenas, pode alugar carrinhos na entrada de cada parque. Muitos papais e mamães preferem comprar um no supermercado Walmart, uma vez que o preço acaba saindo mais barato do que a soma das diárias do aluguel no complexo Disney e nos shoppings.
Não se preocupe em onde deixar os carinhos enquanto brinca nas atrações. Do lado de cada uma existe um “estacionamento” para eles. E ninguém mexe.

Ao lado de cada atração há um local onde ficam os carrinhos enquanto a família se diverte
Ao lado de cada atração há um local onde ficam os carrinhos enquanto a família se diverte

 

Dá para os papais e as mamães curtirem
Está com criança pequena e quer ir a uma atração que ela não pode entrar? Pergunte pelo Child Swap, um esquema que permite aos pais se revezarem no brinquedo. Enquanto um se diverte o outro espera em uma salinha com a criança. E vice-versa.

 

Claro que existe um espaço para os bebês
Os parques contam com um local chamado Baby Care, uma salinha feita para as mamães e os bebês. Há trocadores, cadeirões e micro-ondas para a comida, sala reservada de amamentação e uma pequena loja com papinhas, remédios, fraldas e outros itens de higiene dos pequenos.

Fotos: Larissa Palmer, Tom BrickerRicky Brigante e Nicholas Helmholdt/Creative Commons

Quer mais dicas práticas de Orlando e seus parques incríveis? É só pedir!

IMG_6539

Tudo sobre o FastPass, o sistema fura filas da Disney

A Disney se vende como “O lugar mais feliz da Terra”, mas felicidade e perder tempo esperando em filas quilométricas não combinam. Por este motivo, a companhia lançou em 1999 o sistema FastPass que permite aos visitantes se divertirem em algumas atrações dos parques sem pegar a fila comum, que muitas vezes têm esperas bastante longas.

O esquema montado pela Disney – que vale tanto no complexo de Orlando quanto em Anaheim, na Califórnia – permite ao guest (nome como os visitantes são chamados dentro dos parques) entrar em algumas atrações sem pegar a fila normal. Até o ano passado, para conseguir esse privilégio era necessário estar hospedado em um dos hotéis dentro da Disney, ir até a atração desejada e pegar um papel que permitia a entrada. Mas o esquema mudou na Flórida e deve mudar também em breve na Califórnia. Não existem mais os papeizinhos e agora todo mundo pode pegar o FastPass e não só os hóspedes dos resorts.

A tecnologia chegou na Terra do Mickey, e o FastPass de papel foi substituído pelo sistema digital
A tecnologia chegou na Terra do Mickey, e o FastPass de papel foi substituído pelo sistema digital

 

Espalhados em pontos estratégicos de cada parque há quiosques (procure pela sigla FP+ nos mapas aqui: Magic Kingdom/Epcot/Hollywood Studios/Animal Kingdom) onde ficam cast members (funcionários) equipados com tablets. No Hollywood Studios e Epcot Center, as atrações estão divididas em dois grupos e o guest pode escolher uma do primeiro e duas do segundo. Já no Magic Kingdom e Animal Kingdom, há um grupo só. Em todos os parques você pode escolher até três atrações para pegar o FastPass.

Nos parques onde há a divisão, no primeiro grupo (aquele em que é permitido escolher uma atração só) estão atrações mais cobiçadas como “Toy Story Midway Mania!” e “Rock ‘n’ Roller Coaster Starring Aerosmith” (Hollywood Studios) e “Soarin’” e “Test Track” (Epcot Center).

COMO APROVEITAR MELHOR O FASTPASS

Chegue cedo
Se você deseja pegar o FastPass para atrações como “Toy Story Midway Mania!” e “Soarin’” chegue cedo ao parque. O FastPass tem um limite diário de distribuição, e estas atrações são as primeiras a acabar.

Priorize atrações que não têm Single Rider
Também recomendamos que você priorize atrações que não possuam fila Single Rider, que serve para tapar buracos. Funciona assim: quando sobra um lugar vago no carrinho do brinquedo os cast members colocam um guest nele. Você pode entrar nesta fila quando e com quantas pessoas quiser, mas não é garantido que todos vão juntos na mesma rodada.

A não ser que você deseje curtir junto com todos os seus companheiros, não gaste seu precioso FastPass em atrações com fila Single Rider, que é bem mais rápida do que a normal. Aproveite o privilégio em atrações sem esse tipo de fila (Normalmente simuladores como o “Toy Story Midway Mania!” e “Mission: SPACE”).

Para saber se uma atração tem ou não Single Rider procure nos mapas por um S sobre um fundo azul.

Só gaste o FastPass com shows se fizer questão de fotos maravilhosas
O sistema de FastPass também permite que você tenha lugares privilegiados nos shows de fogos de artifício que acontecem diariamente: “Wishes Nighttime Spetacular” (Magic Kingdom), “Fastamic!” (Hollywood Studios) e “IllumiNations: Reflections of Earth” (Epcot Center).

Se você deseja tirar excelentes fotos das apresentações, o FastPass vale a pena. Caso contrário, você não deixará de ver os shows se ficar em outros locais.  

COMO FUNCIONA O NOVO SISTEMA

Quando você chega ao quiosque, o cast member indica em um tablet as atrações e horários disponíveis, para você escolher três. Você entrega a ele o seu ingresso do parque ou sua Magic Band (pulseira que os hóspedes dos resorts Disney usam) e o funcionário grava eletronicamente o FastPass nele. Lembre sempre de anotar ou mesmo tirar uma foto do tablet para não esquecer os horários.

Quando chegar à atração no horário marcado, a fila do FastPass ficará ao lado da fila normal. Na entrada dela haverá um totem com uma bolinha na ponta. Dentro da bolinha, você verá a cabeça do Mickey. Encoste seu ingresso ou Magic Band nela e quando ficar verde significa que você já pode entrar e se divertir!

Mas dá para fazer tudo isso pela internet, antes de chegar aos parques. O aplicativo/site My Disney Experience permite marcar os horários com antecedência de 60 dias (para quem estiver hospedado dentro do complexo) ou 30 dias (para os hospedados em outros hotéis de Orlando). Você vincula seu ingresso ao sistema e ainda pode ver os horários acessando o aplicativo.

ATRAÇÕES EM QUE VALEM A PENA PEGAR O FASTPASS

Magic Kingdom

“Ariel’s Grotto”

“The Barnstormer”

“Big Thunder Mountain Railroad”

“Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin”

“Enchanted Tales with Belle”

“Jungle Cruise”

“The Many Adventures of Winnie the Pooh”

“Peter Pan’s Flight”

“Seven Dwarfs Mine Train”

“Space Mountain”

“Splash Mountain”

“Town Square Theater Mickey Mouse Meet and Greet”

“Under the Sea: Journey of the Little Mermaid”

“Princess Fairytale Hall: Meet Cinderella and Rapunzel”

“Princess Fairytale Hall: Meet Aurora and Anna and Elza”

As atrações mais antigas ainda tem seu encanto - e muitas vezes horas de fila
As atrações mais antigas ainda tem seu encanto – e muitas vezes horas de fila

 

Epcot

“Character Spot”

“Soarin’”

“Test Track”

“Mission: SPACE”

“The Seas with Nemo & Friends” 

Com o sistema FastPass a diversão não é abalada por horas de espera na fila
Com o sistema FastPass a diversão não é abalada por horas de espera na fila

 

 

Hollywood Studios

“Toy Story Midway Mania!”

“Rock ‘n’ Roller Coaster Starring Aerosmith”

“The Twilight Zone Tower of Terror”

“Star Tours”

“Disney Junior”

 

Animal Kingdom

“Expedition Everest”

“Kali River Rapids”

“Kilimanjaro Safaris Expedition”

“Meet Favorite Disney Pals at Adventurers Outpost”

 

Imagens: Larissa Palmer, TheKarenD, Missy Martinez e Joe Penniston/Creative Commons