Todos os posts de Larissa Palmer

Sobre Larissa Palmer

Tem 22 anos, é jornalista, aspirante à fotógrafa, apaixonada por livros e animais. Como boa viajante, ama aprender e deseja descobrir tudo, menos como se faz para ficar parada.

abre olinda

Olinda em poucas horas

Viagens para Porto de Galinhas, Carneiros e certamente Recife pedem uma passadinha na querida Olinda, cujo nome parece vir sempre acompanhado das expressões “Carnaval”, “bonecos gigantes” e “cidade histórica”. Mas a vizinha de Recife, claro, tem outras belas alegorias – para ficarmos na analogia carnavalesca.

A partir do centro da capital pernambucana percorra cerca de 33 quilômetros de carro e você estará na Sé, o ponto mais alto de Olinda. E que vista! Se você não dá bola para as construções coloniais e igrejas – que eu particularmente adoro – vá pelo menos pela incrível paisagem da montanha verde descendo sobre o mar azul.

O assédio de “guias turísticos” é grande, como em todos os pontos de interesse do Nordeste. Segui meu instinto e acertei ao contratar o João Batista, que nos levou por um tour a pé em troca de uma caixinha.

Caminhar é a melhor forma de conhecer todos os detalhes e entrar no clima da cidade. João Batista conhecia bem as ruas e, o percurso que parecia não ter fim, se tornou gostoso de andar. Mas atenção: se você não tem pique ou estiver acompanhado de crianças ou idosos, aborte a ideia e circule de carro – é um sobe-e-desce que só.

A seguir, confira os pontos que visitamos em aproximadamente três horas de passeio:

IGREJA DE NOSSA SENHORA DA GRAÇA

Começamos o giro por esta igreja fundada em 1535 onde até hoje funciona o seminário de padres de Olinda. Por ainda abrigar os estudantes, o local fica fechado e é possível apenas tirar fotos. Mas o que vale a pena é a vista do marzão azul e das casinhas e igrejinhas da cidade.

Visitar a Igreja de Nossa Senhora da Graça vale a pena pela vista do ponto mais alto de Olinda
A Igreja de Nossa Senhora da Graça fica no ponto mais alto de Olinda, que é uma cidade sobre colinas

 

IGREJA DA SÉ

Esta é a igreja matriz da cidade, construída em 1548. Apesar de ter sofrido um incêndio causado pela invasão holandesa em meados de 1600, o local foi restaurado e está bem conservado. Os pontos altos de lá são os altares laterais banhados a ouro, o túmulo do arcebispo de Recife e Olinda Dom Helder Câmara e o teto feito todo em madeira. Dentro da igreja fica um senhor que sabe muito da história do local. Se puder, fique para ouvir suas narrativas, que são bastante interessantes. Ah, vá até o pátio da igreja e se deslumbre, mais uma vez, com a vista.

Um dos altares banhados a ouro, o teto todo feito de madeira e a geral da matriz de Olinda
Um dos altares banhados a ouro, o teto todo feito de madeira e a fachada da matriz de Olinda

 

MERCADO DA RIBEIRA

Se você não quiser, ou como nós, não tiver tempo de entrar no museu do Mamulengo, neste mercado dá para ter uma boa ideia de como são os bonecões tão tradicionais no Carnaval da cidade. O espaço dispõe de objetos típicos do frevo, como as sombrinhas e máscaras. Não é preciso pagar para entrar e usar os adereços para fotos, eles apenas pedem uma contribuição para manter o espaço.

Ah! No mesmo local há algumas lojinhas com artesanatos da região bem baratos.

No espaço dá para ver os bonecões de perto e ainda tirar fotos com os acessórios tradicionais do carnaval de Olinda
No espaço dá para ver os bonecões de perto e ainda tirar fotos com os acessórios tradicionais do Carnaval de Olinda

 

MOSTEIRO DE SÃO BENTO

Para quem é de São Paulo e/ou conhece o Mosteiro paulistano, o nome e a estrutura são familiares. Construído em 1586, no espaço funcionou a primeira escola de Direito do país, e seu altar é muito bonito e cheio de detalhes revestidos em ouro. É interessante também observar que há um Cristo crucificado em tamanho real no coro da igreja que está virado de costas para o altar. Nosso guia nos explicou que ele está assim por causa dos escravos que queriam assistir à missa, mas não podiam entrar na igreja.

O belíssimo altar do Mosteiro de São Bento, o Cristo virado de costas e a visão geral da primeira escola de direito do Brasil
O belíssimo altar do Mosteiro de São Bento, o Cristo virado de costas e a visão geral da primeira escola de Direito do Brasil

 

IGREJA DE SÃO PEDRO APÓSTOLO
Mesmo quem não entende nada de arte barroca e/ou não costuma frequentar igrejas, ao entrar no lugar já nota diferenças de outras construções. João Batista nos explicou que esta é a única igreja da cidade que sofreu influências holandesas na construção do altar, que parece uma arte 3D.
O legal de visitá-la, além da arte do altar é que, ao seu lado, está a casa mais antiga de Olinda, onde hoje funciona um restaurante.

A igreja de São Pedro apóstolo traz a influência holandesa no design do altar, que parece #D. Ao lado fica a casa mais antiga da cidade
A igreja de São Pedro Apóstolo traz a influência holandesa no design do altar, que parece 3D. Ao lado, fica a casa mais antiga da cidade

 

CONVENTO DE SÃO FRANCISCO
Este foi o primeiro estabelecimento franciscano no país, construído em 1585 e composto da igreja principal, uma sacristia e duas capelas (uma delas com lindos azulejos portugueses nas paredes). O bacana do lugar é olhar para o alto, que me fez lembrar o famoso teto da Capela Sistina na Itália, já que é todo feito de pinturas. Vale a visita e também não custa nada para entrar.

Uma das capelas do Convento de São Francisco tem o teto todo feito de pinturas à óleo. Me lembrou a Capela Sistina
Uma das capelas do Convento de São Francisco tem o teto todo feito de pinturas a óleo. Me lembrou a Capela Sistina

 

ONDE COMER
Nosso tour acabou no Convento de São Francisco e, depois de três horas andando embaixo do sol, estávamos mortos de fome. Todos por lá falam das maravilhas do restaurante Oficina do Sabor, que o A+V já conheceu e garante que é uma experiência gastronômica inesquecível, mas acabamos optando por algo mais em conta, o Olinda Art&Grill, ao lado da Igreja da Sé e que tem uma vista linda da cidade.

Pedimos um prato tradicional com carne de sol, feijão de corda, macaxeira, salada e um pirão de queijo que até hoje sentimos saudades de tão gostoso. Custou cerca de R$ 90 e serviu três adultos esfomeados. Aprovado.

O Olinda Art&Grill tem comida bem servida, gostosa e com preços honestos
O Olinda Art&Grill tem comida bem servida, gostosa e com preços honestos

Fotos: Larissa Palmer e Prefeitura de Olinda/Creative Commons

Bran castle

Especial Halloween: os passeios mal assombrados do mundo

Há alguns anos, o Halloween virou festa brasileira também, “trick or treat” se tornou “gostosuras e travessuras” e as fantasias de bruxa, fantasma e vampiro tomam as escolas no 31 de outubro. Mas a cultura Halloween no Hemisfério Norte, principalmente nos Estados Unidos e no Reino Unido, é bem mais rica. Existem as abóboras escavadas com velas dentro (as chamadas Jack-o’-lanterns), brincadeiras como tirar maçãs de uma bacia de água sem usar as mãos, e exibições sing-along do musical “Rocky Horror Picture Show”, entre várias outras tradições.

Para os turistas que curtem esse clima, algumas cidades antigas e cheias de história costumam ter atrações que combinam com o astral creepy durante o ano todo. São tours, em geral feitos a pé, por lugares onde eventos estranhos ou assustadores aconteceram no passado, ou que simplesmente têm fama de assombrados. Confira.

 

INGLATERRA

Com as vielas escuras das partes mais antigas da City e East London, o tradicional fog e o imaginário de mistério criado na era vitoriana, a capital inglesa está cheia de oportunidades para se arrepiar. O Haunted London, por exemplo, é um walking tour em que o guia abusa do tom sombrio para contar, entre outras, histórias ligadas à grande praga do século 17 — como a que diz que os corpos da época foram espalhados pelas ruas, e encontrados anos depois nas escavações da construção do metrô.

Diariamente, 19h30, metrô Monument (saída Fish Street Hill). Preço: 9 libras

Ele não foi bruxo nem fantasma, mas tem personagem mais perfeito para o Halloween do que Jack, o Estripador? Donald Rumbelow, um dos maiores especialistas da história do serial killer, conduz um passeio que recria o cenário dos crimes ocorridos em 1888, passando pelas ruas onde ocorreram os assassinatos. Confira aqui o site do passeio.

Dois dos lugares onde, provavelmente, Jack não brincou em serviço
Dois dos lugares onde, provavelmente, Jack não brincou em serviço

 

Diariamente, 19h30, Metrô Tower Hill. Preço: 9 libras.

Pela capital inglesa, ainda é possível participar do Ghost Bus Tour, um passeio que leva os visitantes a todos os pontos da cidade com características assustadoras, a bordo de um ônibus pintado de preto e recheado de pegadinhas que assustam os participantes.

O Ghost Bus, devidamente equipado com histórias e pegadinhas para te assustar
O Ghost Bus, devidamente equipado com histórias e pegadinhas para te assustar

 

Diariamente, 19h30 e 21h, Northumberland Avenue, ao lado da Trafalgar Square. Preço: 21 libras para adultos e 16 para crianças

 

ESCÓCIA

Edimburgo, a capital da Escócia, coleciona uma série de histórias tenebrosas, herança da idade média. Quando estiver por lá, tome coragem e não deixe de fazer um dos tours oferecidos. A maioria dos passeios leva para dar uma voltinha na parte velha e medieval da cidade. Edimburgo tem tanta – má – fama que existem até passeios noturnos que não são indicados para crianças.

Se você já considerava as catacumbas de Edimburgo sombrias, espere até conhecer a real história delas
Se você já considerava as catacumbas de Edimburgo sombrias, espere até conhecer a real história delas

 

Os tours são realizados pelas empresas Mercat Tours, Auld Reekie e Black Hart. Preços e saídas podem ser encontrados nos respectivos sites. No verão (julho e agosto) recomendamos fazer reserva.

Os participantes aprendem sobre o passado obscuro e assustador de Edimburgo
Os participantes aprendem sobre o passado obscuro e assustador de Edimburgo

 

ESTADOS UNIDOS

Você já ouviu falar das Bruxas de Salem? A famosa condenação coletiva por bruxaria, retratada no filme de 1996 “As Bruxas de Salem”, aconteceu há séculos atrás, mas a cidade localizada em Massachusetts, Estados Unidos, respira este evento até hoje. Você enxerga bruxaria em todos os cantos de Salem, das ruas até as inúmeras lojinhas que vendem absolutamente tudo o que as bruxas possam querer, como chapéus, vassouras e ingredientes para poções.

Além de museus espalhados pela cidade, costumam acontecer por lá algumas encenações dos julgamentos que ocorreram entre 1692 e 1693. Nesta paranoia de bruxaria, 200 pessoas foram executadas e hoje existe um memorial composto de 20 bancadas de granito chamado Witch Trials Memorial. Por lá, você confere os nomes das vítimas, data e forma da morte. Se quiser mais, experimente uma visitinha ao Peabody Essex Museum, onde estão armazenados os documentos das execuções.

As encenações que acontecem na cidade. O museu das bruxas. O monumento aos enforcados. A venda de todos os produtos que as bruxas possam precisar
As encenações que acontecem na cidade. O museu das bruxas. O monumento aos enforcados. A venda de todos os produtos que as bruxas possam precisar

 

Se optar por um tour, vários são disponibilizados na cidade. Você pode conferir quais são e o que oferecem nesse site.

Dica A+V: Se você não quiser se hospedar em Salem, Boston fica a apenas 30 km.

 

ROMÊNIA

Ir para a terra de Drácula e não visitar seu castelo é como ir a Roma e não ver o Papa. O personagem do livro de Bram Stoker, escrito em 1897, foi inspirado em um homem chamado Vlad Tepes, que governou a Romênia há mais de 400 anos. Se não bastasse o legado que deixou, ainda é possível visitar o castelo onde viveu, localizado na comuna de Bran, fronteira entre a Transilvânia e a Valáquia, a 188 Km da capital romena, Bucareste. Passear por lá significa entrar nos cômodos, ver toda a mobília e aprender mais sobre a atmosfera desta história tão famosa.

Detalhes do humilde castelo do dentuço
Detalhes do humilde castelo do dentuço

 

Neste site você confere os horários de visitação e preços dos ingressos.

Se desejar mais da Romênia, experimente uma visitinha à floresta Hoia-Baciu, no condado de Cluj, famosa por atividades paranormais, assassinatos de camponeses e aparições de extraterrestres. Fica a 449 km da capital.

Hoia-Baciu, famosa por fenômenos paranormais e assassinatos
Hoia-Baciu, famosa por fenômenos paranormais e assassinatos

 

BRASIL

Centro, Avenida Paulista, 25 de Março é para os fracos. Imagine, quando em São Paulo, fazer uma visitinha ao cemitério da Consolação ou ao edifício Joelma, célebre pelo incêndio que matou mais de 180 pessoas em 1974. Experimente o tour “SP Além dos túmulos” que leva aos pontos mal assombrados de São Paulo a bordo de um ônibus devidamente decorado com teias de aranhas e cortinas escuras.

Você sabia que no bairro da Bela Vista existe uma casa onde, dizem, vaga o espírito de uma senhora que tinha problemas mentais? E que o Teatro Municipal tem seu próprio fantasma da ópera, que causou a demissão de vários funcionários amedrontados? Essas, e mais informações macabras da cidade, você aprende neste tour, que passa também pelo edifício Martinelli, castelo da Rua Apa, palco da misteriosa morte de três pessoas de uma família da aristocracia paulistana, e pelo Beco dos Aflitos, primeiro cemitério construído na cidade para enterrar pobres e condenados pela justiça. O passeio termina no cemitério da Consolação, onde estão enterradas personalidades como Monteiro Lobato e Tarsila do Amaral.

Alguns dos pontos visitados no tour: Cemitério da Consolação, Castelo da rua Apa, Beco dos Aflitos e edifício Joelma
Alguns dos pontos visitados no tour: Cemitério da Consolação, Castelo da rua Apa, Beco dos Aflitos e edifício Joelma

 

O tour é feito pela empresa Grafitt e custa aproximadamente R$ 35.

Imagens: Berit Watkin, Rudi, Fábio Lopes, Camila Santana, Renata Miyagusku, Hélio Jr. Bertolucci/Creative Commons, Jared Charney, Big Baz Signs, Roger Conant, Jasmine Gordon, Mercat Tours, Romanian National Tourist Office, Hoia Baciu Forest/Divulgação

 

 

castelo

Como aproveitar Orlando sem muvuca e correria

Desde que voltei do meu intercâmbio de trabalho no Walt Disney World, na Flórida, duas atividades comuns entraram na minha rotina. A primeira é sentir saudade da incrível experiência de fazer parte daquele universo. A segunda é funcionar como uma guia, dando dicas de como aproveitar melhor a viagem para lá.

A Disney é um lugar divertido, mas bem cheio. Se você não é da muvuca, não precisa desistir de viajar para lá! Separei algumas informações para tornar sua ida a Orlando tranquila e organizada.

Evite Orlando em julho
O verão na Flórida é extremamente quente e com algumas chuvas. Além disso, as férias escolares dos americanos acontecem neste período, e os parques ficam absurdamente cheios. Janeiro é um bom mês para conhecer a Disney e os outros parques, já que estão mais vazios e é quando as crianças brasileiras estão de férias. Priorize sempre a baixa temporada.

Na primeira vez, vá em dias comuns
Se é sua estreia no complexo Disney, recomendo não visitar o Magic Kingdom em dias de festas especiais, que acontecem no Halloween (31 de outubro) e no fim do ano, entre Natal e Réveillon. São lindas e divertidas, mas a tradicional parada de personagens e o show de fogos no castelo da Cinderela não acontecem nestes dias e, desta forma, você acabaria perdendo o clássico do parque.

A festa de Halloween é muito divertida e fofa, mas se é sua primeira vez no Magic Kingdom, prefira os dias em que o parque volta à programação normal
A festa de Halloween é muito divertida e fofa, mas se é sua primeira vez no Magic Kingdom, prefira os dias em que o parque volta à programação normal

 

Compre ingressos com antecedência
Existem várias formas de adquirir ingressos. Se você deseja comprar tíquetes para todos os parques da cidade de uma vez só e parcelar o valor, compre nas agências de viagem do Brasil. Além disso, espalhados por Orlando existem vários lugares que vendem ingressos. Pesquise bem a reputação dos locais e tome muito cuidado se optar comprar neles. Se optar pela aquisição via internet, tire cópias dos vouchers. Será seu comprovante de compra, caso aconteça alguma coisa com os tíquetes.

 

Esqueça a “regra” de deixar o melhor para o final
Fazer a maratona de parques e compras cansa bastante e, consequentemente, nos últimos dias da viagem você estará quebrado. Vale a pena estar tão cansado no dia de visitar o parque/atração que deseja tanto ir? Magic Kingdom, Hollywood Studios e Epcot Center são grandes e têm uma programação extensa ao longo do dia, já que contam com apresentações, paradas e um show de encerramento à noite. Priorize-os no início das férias, quando sua energia estará a mil. Outros parques que merecem um dia exclusivo são Busch Gardens e Island of Adventure. Uma dica é deixar o Animal Kingdom para o fim. O parque é menor, fecha mais cedo e é mais gostoso de andar, uma vez que é completamente arborizado. Universal Studios e Sea World também são relativamente pequenos e fecham cedo.

O Animal Kingdom é um parque mais tranquilo, vazio e gostoso de passear. Prefira visitá-lo nos últimos dias da viagem, quando estiver mais cansado
O Animal Kingdom é um parque mais tranquilo, vazio e gostoso de passear. Prefira visitá-lo nos últimos dias da viagem, quando estiver mais cansado

 

Chegue cedo aos parques
Deixe a preguiça de lado e esteja nos parques na hora da abertura (você pode conferir os horários aqui),  priorizando as atrações mais lotadas na manhã. Planeje bem – nós explicamos o funcionamento do aplicativo My Disney Experience, que ajuda nessa tarefa aqui. Se sua visita a Orlando for em alta temporada, fique de olho nos Fast Pass+ (explicamos aqui) na Disney e possíveis ingressos fura fila nos outros parques da cidade.

 

Seja pontual
Planeje-se para assistir aos shows e apresentações que deseja. Chegue sempre antes do horário de início, porque todas começam pontualmente.

Todos os shows dos parques começam pontualmente. Não se atrase se não quiser perder nenhum detalhe!
Todos os shows dos parques começam pontualmente. Não se atrase se não quiser perder nenhum detalhe!

 

 

Você não precisa carregar compras pelos parques

Comprou alguma coisa e não quer carregar? Consulte os caixas das lojas e pergunte pelo serviço chamado Package Pickup, que envia suas sacolas para a saída do parque, para você pegá-las no fim do dia. Existe também o serviço de delivery para os hotéis do complexo e alguns conveniados.

 

Vale mais comprar um troller que alugar

Se você está com crianças pequenas, pode alugar carrinhos na entrada de cada parque. Muitos papais e mamães preferem comprar um no supermercado Walmart, uma vez que o preço acaba saindo mais barato do que a soma das diárias do aluguel no complexo Disney e nos shoppings.
Não se preocupe em onde deixar os carinhos enquanto brinca nas atrações. Do lado de cada uma existe um “estacionamento” para eles. E ninguém mexe.

Ao lado de cada atração há um local onde ficam os carrinhos enquanto a família se diverte
Ao lado de cada atração há um local onde ficam os carrinhos enquanto a família se diverte

 

Dá para os papais e as mamães curtirem
Está com criança pequena e quer ir a uma atração que ela não pode entrar? Pergunte pelo Child Swap, um esquema que permite aos pais se revezarem no brinquedo. Enquanto um se diverte o outro espera em uma salinha com a criança. E vice-versa.

 

Claro que existe um espaço para os bebês
Os parques contam com um local chamado Baby Care, uma salinha feita para as mamães e os bebês. Há trocadores, cadeirões e micro-ondas para a comida, sala reservada de amamentação e uma pequena loja com papinhas, remédios, fraldas e outros itens de higiene dos pequenos.

Fotos: Larissa Palmer, Tom BrickerRicky Brigante e Nicholas Helmholdt/Creative Commons

Quer mais dicas práticas de Orlando e seus parques incríveis? É só pedir!

13021097114_257da5c2c2_k

Aplicativo My Disney Experience: não viaje sem

O modo de curtir a Disney mudou muito ao longo dos anos. Se você conheceu os parques nos anos 80 ou 90 e agora volta para matar a saudade – ou apresentá-los aos filhos, talvez –  vai encontrar muitas atrações novas, claro, mas não só. Toda a maneira de programar a visita está diferente, principalmente porque o público cresceu demais, são cerca de 30 mil pessoas por dia no complexo de Orlando. E a tecnologia agora ajuda a lidar com esse fluxo gigantesco de pessoas e permite que todos possam aproveitar o máximo.

O planejamento para as férias na Disney está em outro nível, não basta decidir em que dia você estará no Magic Kingdom, no Epcot Center e assim por diante. Já falei sobre o FastPass+, que deixa você furar filas das atrações mais concorridas, mas necessita estratégia para ser bem aproveitado.

Agora explico como funciona o aplicativo My Disney Experience, essencial para quem pretende viajar para lá. Ele permite aos guests programarem tudo o que querem fazer, por meio de informações e agendamentos.

Como funciona

  • O aplicativo é gratuito e pode ser baixado tanto em celulares e tablets com tecnologia iOS ou Android.
  • Depois de baixá-lo, cadastre-se por um computador comum ou pelo próprio aplicativo. Apenas tenha em mãos seu ingresso ou as informações de compra dele – você pode utilizar o mesmo cadastro, mas a compra de ingressos é só pelo site oficial da Disney.
  • Quem se instala em hotéis da rede Disney pode incluir informações como a reserva de hospedagem no aplicativo. Para estes hóspedes é possível reservar FastPass+ com até seis meses de antecedência.  Se você está hospedado fora do complexo também pode fazer as reservas do FastPass+, mas com 30 dias de antecedência.
  • Se deseja usar o My Disney Experience somente para consulta no dia da visita, o aplicativo rastreia por satélite o parque que você está e libera as informações.
  • Não se preocupe em pagar uma fortuna em planos internacionais de internet. Dentro dos parques há uma rede de wi-fi gratuita chamada “Disney Guest” que funciona muito bem.
  • Se você estiver viajando em família ou com amigos, pode cadastrar todos os ingressos em uma só conta no My Disney Experience. Desta forma, no sistema da Disney, todos aparecerão juntos em reservas de restaurantes e FastPass+.

Os serviços

ATTRACTIONS (Atrações)

Nesta aba, estão listadas todas as atrações do parque e seus respectivos tempos de espera na fila, atualizados em tempo real. No ícone de cada atração, você descobre o horário de funcionamento, as idades recomendadas, a altura permitida, acessibilidade e a intensidade da aventura.  É também no ícone de cada atração que você pode pegar o FastPass+ para se divertir sem fila.

Olhar o tempo de fila pelo aplicativo ajuda a não perder tempo se deslocando até atrações mais distantes, como a "Expedition Everest" no Animal Kingdom
Olhar o tempo de fila pelo aplicativo ajuda a não perder tempo se deslocando até atrações mais distantes, como a “Expedition Everest” no Animal Kingdom

 

CHARACTERS (Personagens)

“Peter Pan sabe tudo sobre aventuras! Dos piratas ao pó mágico, todo dia é excitante quando você nunca cresce!” Achou bonitinha a maneira como é o personagem da Terra do Nunca é descrito? As minibiografias, todas muito fofas e divertidas, fazem parte desta aba, onde estão listados os horários e localizações de todos os personagens que estão no parque. Alguns deles aparecem somente uma vez ao dia e, com o aplicativo, fica fácil não perdê-los.

Você pode encontrar o Peter Pan antes que ele vá embora para a Terra do Nunca com a Sininho
Você pode encontrar o Peter Pan antes que ele vá embora para a Terra do Nunca com Sininho, Wendy e seus irmãos

DINING (Refeições)

Na hora da fome, esta aba mostra todos os restaurantes e locais onde se vende comida. Se você estiver cansado de comer hambúrguer e quiser uma massa, por exemplo, pode conferir o que cada restaurante oferece e as faixas de preço. Também é possível checar a localização de cada um e o horário de funcionamento.

Alguns restaurantes são muito lotados e necessitam reserva, como o Be Our Guest, e o Cinderella’s Royal Table.  Neste ícone você pode reservar uma mesa com até seis meses de antecedência e todas as suas reservas aparecerão no ícone My Plans.

Be Our Guest é um restaurante novo e bastante lotado. Recomendo fazer reserva nele com meses de antecedência
Be Our Guest é um restaurante novo e bastante lotado. Recomendo fazer reserva nele com meses de antecedência

RESTROOMS (Banheiros)

Na hora do aperto, esta aba indica todos os banheiros do parque, suas respectivas localizações e qual deles está mais perto de você.

ENTERTAINMENT (Entretenimento)

Ir à Disney e não conferir os shows é como ir à França e não conhecer o Museu do Louvre. Esta aba te ajuda a conferir os horários, localizações, público indicado, mapas e informações referentes à acessibilidade dos espetáculos. Clicar no ícone Add to My Plans fará o aplicativo te avisar quando as apresentações escolhidas estiverem para começar.

EVENTS & TOURS (Eventos e Tours)

Se sua garotinha quiser se transformar na Ariel ou em outra princesa, é nesta aba que você pode fazer uma reserva na Bibbidi Bobbidi Boutique, o local onde a transformação acontece. Neste mesmo ícone ficam informações referentes a eventos especiais que acontecem somente em datas específicas, como a festa de Halloween e de Natal.

GUEST SERVICES (Serviços ao visitante)

Nesta aba estão listados todos os serviços como área de fumantes, enfermaria, berçários e outros.  Como os serviços são espalhados por todo o parque, pelo aplicativo você pode ver pelo mapa qual é o local mais próximo de você.

Todos os serviços para te atender melhor estão listados nesta aba
Todos os serviços para te atender melhor estão listados nesta aba

SHOPPING (Compras)

A Disney é um paraíso das compras e tem sempre algum souvenir que você quer. No Magic Kingdom, por exemplo, os produtos do filme Piratas do Caribe, são encontrados apenas na Adventureland e nesta aba é possível descobrir onde são vendidos outros produtos específicos como estes. Além disso, você confere a localização e horário de funcionamento de todos os estabelecimentos.

Você pode até estar de férias, não querendo saber de coisas eletrônicas nem de rotina e horários. Mas que atire a primeira pedra quem não acredita que a tecnologia pode ser uma mão na roda na hora de aproveitar melhor a sua viagem!

Quer dicas de restaurantes, lojas e shows dentro do complexo Disney? Peça pra gente!

Fotos: Larissa Palmer, Jackie Nell PhotographyDon Sullivan/ Creative Commons

 

IMG_6539

Tudo sobre o FastPass, o sistema fura filas da Disney

A Disney se vende como “O lugar mais feliz da Terra”, mas felicidade e perder tempo esperando em filas quilométricas não combinam. Por este motivo, a companhia lançou em 1999 o sistema FastPass que permite aos visitantes se divertirem em algumas atrações dos parques sem pegar a fila comum, que muitas vezes têm esperas bastante longas.

O esquema montado pela Disney – que vale tanto no complexo de Orlando quanto em Anaheim, na Califórnia – permite ao guest (nome como os visitantes são chamados dentro dos parques) entrar em algumas atrações sem pegar a fila normal. Até o ano passado, para conseguir esse privilégio era necessário estar hospedado em um dos hotéis dentro da Disney, ir até a atração desejada e pegar um papel que permitia a entrada. Mas o esquema mudou na Flórida e deve mudar também em breve na Califórnia. Não existem mais os papeizinhos e agora todo mundo pode pegar o FastPass e não só os hóspedes dos resorts.

A tecnologia chegou na Terra do Mickey, e o FastPass de papel foi substituído pelo sistema digital
A tecnologia chegou na Terra do Mickey, e o FastPass de papel foi substituído pelo sistema digital

 

Espalhados em pontos estratégicos de cada parque há quiosques (procure pela sigla FP+ nos mapas aqui: Magic Kingdom/Epcot/Hollywood Studios/Animal Kingdom) onde ficam cast members (funcionários) equipados com tablets. No Hollywood Studios e Epcot Center, as atrações estão divididas em dois grupos e o guest pode escolher uma do primeiro e duas do segundo. Já no Magic Kingdom e Animal Kingdom, há um grupo só. Em todos os parques você pode escolher até três atrações para pegar o FastPass.

Nos parques onde há a divisão, no primeiro grupo (aquele em que é permitido escolher uma atração só) estão atrações mais cobiçadas como “Toy Story Midway Mania!” e “Rock ‘n’ Roller Coaster Starring Aerosmith” (Hollywood Studios) e “Soarin’” e “Test Track” (Epcot Center).

COMO APROVEITAR MELHOR O FASTPASS

Chegue cedo
Se você deseja pegar o FastPass para atrações como “Toy Story Midway Mania!” e “Soarin’” chegue cedo ao parque. O FastPass tem um limite diário de distribuição, e estas atrações são as primeiras a acabar.

Priorize atrações que não têm Single Rider
Também recomendamos que você priorize atrações que não possuam fila Single Rider, que serve para tapar buracos. Funciona assim: quando sobra um lugar vago no carrinho do brinquedo os cast members colocam um guest nele. Você pode entrar nesta fila quando e com quantas pessoas quiser, mas não é garantido que todos vão juntos na mesma rodada.

A não ser que você deseje curtir junto com todos os seus companheiros, não gaste seu precioso FastPass em atrações com fila Single Rider, que é bem mais rápida do que a normal. Aproveite o privilégio em atrações sem esse tipo de fila (Normalmente simuladores como o “Toy Story Midway Mania!” e “Mission: SPACE”).

Para saber se uma atração tem ou não Single Rider procure nos mapas por um S sobre um fundo azul.

Só gaste o FastPass com shows se fizer questão de fotos maravilhosas
O sistema de FastPass também permite que você tenha lugares privilegiados nos shows de fogos de artifício que acontecem diariamente: “Wishes Nighttime Spetacular” (Magic Kingdom), “Fastamic!” (Hollywood Studios) e “IllumiNations: Reflections of Earth” (Epcot Center).

Se você deseja tirar excelentes fotos das apresentações, o FastPass vale a pena. Caso contrário, você não deixará de ver os shows se ficar em outros locais.  

COMO FUNCIONA O NOVO SISTEMA

Quando você chega ao quiosque, o cast member indica em um tablet as atrações e horários disponíveis, para você escolher três. Você entrega a ele o seu ingresso do parque ou sua Magic Band (pulseira que os hóspedes dos resorts Disney usam) e o funcionário grava eletronicamente o FastPass nele. Lembre sempre de anotar ou mesmo tirar uma foto do tablet para não esquecer os horários.

Quando chegar à atração no horário marcado, a fila do FastPass ficará ao lado da fila normal. Na entrada dela haverá um totem com uma bolinha na ponta. Dentro da bolinha, você verá a cabeça do Mickey. Encoste seu ingresso ou Magic Band nela e quando ficar verde significa que você já pode entrar e se divertir!

Mas dá para fazer tudo isso pela internet, antes de chegar aos parques. O aplicativo/site My Disney Experience permite marcar os horários com antecedência de 60 dias (para quem estiver hospedado dentro do complexo) ou 30 dias (para os hospedados em outros hotéis de Orlando). Você vincula seu ingresso ao sistema e ainda pode ver os horários acessando o aplicativo.

ATRAÇÕES EM QUE VALEM A PENA PEGAR O FASTPASS

Magic Kingdom

“Ariel’s Grotto”

“The Barnstormer”

“Big Thunder Mountain Railroad”

“Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin”

“Enchanted Tales with Belle”

“Jungle Cruise”

“The Many Adventures of Winnie the Pooh”

“Peter Pan’s Flight”

“Seven Dwarfs Mine Train”

“Space Mountain”

“Splash Mountain”

“Town Square Theater Mickey Mouse Meet and Greet”

“Under the Sea: Journey of the Little Mermaid”

“Princess Fairytale Hall: Meet Cinderella and Rapunzel”

“Princess Fairytale Hall: Meet Aurora and Anna and Elza”

As atrações mais antigas ainda tem seu encanto - e muitas vezes horas de fila
As atrações mais antigas ainda tem seu encanto – e muitas vezes horas de fila

 

Epcot

“Character Spot”

“Soarin’”

“Test Track”

“Mission: SPACE”

“The Seas with Nemo & Friends” 

Com o sistema FastPass a diversão não é abalada por horas de espera na fila
Com o sistema FastPass a diversão não é abalada por horas de espera na fila

 

 

Hollywood Studios

“Toy Story Midway Mania!”

“Rock ‘n’ Roller Coaster Starring Aerosmith”

“The Twilight Zone Tower of Terror”

“Star Tours”

“Disney Junior”

 

Animal Kingdom

“Expedition Everest”

“Kali River Rapids”

“Kilimanjaro Safaris Expedition”

“Meet Favorite Disney Pals at Adventurers Outpost”

 

Imagens: Larissa Palmer, TheKarenD, Missy Martinez e Joe Penniston/Creative Commons